quarta-feira, 13 de setembro de 2017

COMUNICADO 10

CDU – autárquicas de 2017
COMUNICADO nº 10

ßß      No enunciado de pontos de referência de PROPOSTAS (sucintos pois a sua explanação só é possível no conhecimento de situações a que a CDU está alheia e após participação real das populações), é necessário afirmar claramente que, no plano autárquico, a cidade de Fátima (e de certo modo a freguesia urbana da Senhora da Piedade) tem de ser vista como parcela integrada e mobilizadora de equilibrado desenvolvimento, não como corpo estranho no todo municipal, nunca como pólo agravador de desigualdades.
Propostas da CDU-Ourém (algumas e sucintas)
   Avançar, no quadro de um plano de urbanização da freguesia da Piedade, com a requalificação da “avenida” e vias de circulação no interior e circulares da cidade
   Defender a melhoria do ambiente e a salvaguarda do património cultural, nomeadamente na vila medieval
   Estabelecer relações de cooperação com o Santuário relativamente á gestão autárquica de Fátima
   Concretizar o projecto de extensão de saneamento básico a todo o concelho
   Potenciar a riqueza de uma floresta ordenada, facilitando assim a fixação das populações, com especial incidência nas freguesias do norte do Concelho.
   Apoiar a formação de associações de proprietários florestais, particularmente nas zonas mais afectadas ou com riscos de incêndios
   Reforçar a cooperação com a ZIF de Seiça (Zona de Intervenção Florestal), estimular o seu alargamento.
   Melhorar a mobilidade pedonal, nas povoações e nos caminhos para Fátima
   Acompanhar o desenvolvimento de iniciativas empresariais, nomeadamente em novas áreas de investimento
   Apoiar o movimento associativo
   Exigir a reposição das freguesias extintas, com a participação e o acordo da vontade popular, e reforçar papel das freguesias no órgão deliberativo
   Defender a gestão pública da água como bem público
   Tomar posição em favor dos serviços públicos e do acesso à saúde, à educação, à protecção social, à habitação e à mobilidade
   Valorizar a situação dos trabalhadores da autarquia
   Ponderar e rever a articulação com as empresas municipais
Na continuidade do comunicado nº 9, transcrevem-se as anteriores propostas da CDU-Ourém, pontos de referência para um programa, de que outros se arrogam mas não cumprem. Estes pontos são aspectos suspensos ou de necessária realização, alguns encetados há décadas e há mandatos sucessivos de gestões sucessivas se iniciam ou não, ficam por realizar para comporem promessas programáticas que nunca cumprem objectivos e calendários. Estes pontos serão referências para discutir com as populações e realizar em definidas linhas de forças:
uma POLÍTICA DIFERENTE
com uma ESTRATÉGIA CONCELHIA
no quadro dum ORDENAMENTO TERRITORIAL E DA FLORESTA
através de um PODER LOCAL descentralizado e democrático
exigindo uma atenção particular para o caso de FÁTIMA.
Assim se apresenta a CDU-Ourém, coerente com programas anteriores, de que se destaca o de 2009, no anunciado tempo de mudança que um participado CONGRESSO fez vislumbrar mas de que nem uma página sobrou enquanto se repetem “encomendas” de estudos a gabinetes de consultadoria exteriores, de que se não conhecem resultados.
---0---0---
Com o acórdão do Tribunal Constitucional relativo ao recurso do PS estará, finalmente!, encerrado o processo pré-eleitoral. Seguir-se-á o propriamente (ou impropriamente) dito período eleitoral. Que será evidentemente muito marcado por este preâmbulo que se desejaria ver encerrado. Mas foi sendo criado um ambiente de emotividade, quase de irracionalidade, que se lamenta. O contrário do que deveria ser um tempo de informação, debate sereno, reflexão.
Com o risco de ir contra uma corrente de solidariedade alimentada por afirmações peremptórias e grandiloquentes de se estar face a uma injustiça que assentaria numa armadilhada interpretação da Lei (do que rege a nossa convivência cívica). De novo, e sempre, lamenta-se o tempo ocupado com tal questão, o que, objectivamente, desviou o debate dos temas que importa trazer ao conhecimento e discussão das populações para escolha informada e consciente de quem as deve representar. Desvio que não acontece por acaso.
Que fique claro: a CDU participa em todos os debates e qualquer interlocutor, desde que respeitadas regras e não se contribua para confundir deliberadamente.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

(nas) ÚLTIMAS

take da lusa


O Tribunal Constitucional indeferiu hoje o recurso apresentado pelo Partido Socialista confirmando a inelegibilidade do seu candidato à presidência da Câmara de Ourém, no distrito de Santarém, Paulo Fonseca, nas eleições de 01 de outubro.

Na decisão tomada hoje, o Tribunal Constitucional nega provimento ao recurso interposto pelo PS à decisão tomada pelo Tribunal Judicial da Comarca de Santarém - Juízo Cível de Ourém, em 17 de agosto último, e confirmada pelo mesmo tribunal a 24 de agosto, data em que foi rejeitada a reclamação à primeira decisão.
O TC confirma igualmente a decisão de que o lugar de Paulo Fonseca passe a ser ocupado pela número dois da lista, a psicóloga clínica Cília Maria de Jesus Seixo, 55 anos, professora de Filosofia e Psicologia em Fátima, "sendo a lista reajustada pela ordem de precedência dos sucessivos candidatos dela constantes".
MLL // ATR

Lusa/fim

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

COMUNICADO 9





CDU – autárquicas de 2017

COMUNICADO nº 9

A semana a que se reporta este comunicado foi marcada pelo episódio da situação de insolvência do “cabeça de lista à câmara” apresentado pelo PS, pelo correspondente despacho da juíza encarregada de decidir da elegibilidade das candidaturas apresentadas, recurso desse despacho para o Tribunal Constitucional pelo mandatário do PS e pela situação criada relativamente ao agendado debate promovido por médio-tejo.in entre os “cabeças de lista à câmara”. 
Não obstante a disposição da CDU-Ourém (em plena concordância com decisões centrais) de não se imiscuir em tal questão enquanto do foro pessoal em sede de justiça e sua aplicação, as suas inevitáveis implicações políticas obrigaram a tomar posição local, nomeadamente em consequência do debate marcado para 6 e reagendado para 26 de Setembro, após a decisão sobre o recurso do TC. Do que não se pretende a vanglória mas se reivindica o contributo[1].
Lamenta-se o tempo ocupado com tal questão, o que, objectivamente, desviou o debate dos temas que importaria trazer a conhecimento das populações para escolha informada e consciente de quem as deve representar. O que não acontece por acaso ou inocentemente. A CDU participa em todos os debates com qualquer interlocutor, desde que respeitadas regras e não se contribua para confundir deliberadamente.

Entretanto, foi a Festa do Avante!. A festa do jornal do PCP, onde nos encontrámos todos. Diferentes e iguais na solidariedade à volta de um projecto comum. Militantes uns desde há décadas, independentes de organizações partidárias outros. Também alguns de outras forças políticas cujas opções não foram minadas pelos preconceitos que impediriam a convivência, pelo que estiveram em festa naquela Festa.
Depois da Festa, em que a presença de Ourém foi muito significativa e estimulante, retomou-se o trabalho (que, aliás, para alguns, nunca se interrompeu, mas tão-só passou a outras e imprescindíveis tarefas) e avançou-se com o rascunho de “miolo” de texto local para distribuir como programa. Transcreve-se a primeira parte:
Em mais umas eleições autárquicas, a CDU apresenta-se em Ourém. Como alternativa. E, como sempre, DIFERENTE das outras candidaturas!
A CDU, com verdade e transparência, está fora dos “jogos pelo poder”, sem carreirismos, está à margem de situações confusas e de aproveitamentos oportunistas. Apresenta-se, de novo, com a única intenção de representar os trabalhadores e as populações, de estimular a participação de todos na vida social. Como se pode comprovar onde o voto dos eleitores põe a sua gestão autárquica à prova. Gestão que se mostra DIFERENTE, apesar do ambiente e condicionalismos gerais.
Em Ourém é notória a ausência de uma ESTRATÉGIA concelhia. Que é reconhecida e serve de pretexto para afirmações demagógicas, para iniciativas inconsequentes, para “encomendas” a consultorias externos.
Essa indispensável definição estratégica tem de ser, também, contributo para um ORDENAMENTO TERRITORIAL E DA FLORESTA que recentes e dramáticos acontecimentos tornaram exigência urgente.
Para a CDU-Ourém, o objectivo do serviço público para melhor qualidade de vida das populações torna mais evidente a evolução demográfica e social do concelho, no quadro dum PODER LOCAL parte imprescindível de ordenamento político-administrativo.
Por integrar FÁTIMA como freguesia, o concelho de OURÉM exige uma atenção particular dada a muito específica e relevante realidade social que essa sua parcela se tornou em vários aspectos. A evolução demográfica da freguesia de Fátima, no contexto concelhio e nacional, a enormíssima quantidade de peregrinos e a população flutuante, obrigam a articulação que é leviano encarar sem exigente estudo e tratamento no âmbito do poder local e sua gestão, bem para além de aproximações turístico-económicas.
                             seguiráà




    e  http://ouremcdu.blogspot.pt/2017/09/debate-marcado-para-amanha-reagendado.html

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Debate marcado para amanhã reagendado para 26

O jornal digital médio-tejo.in, promotor de debates com os "cabeças de lista a câmaras municipais" de alguns dos concelhos da "sub-região", depois de contactos (com o 1º da lista da CDU-OURÉM após a tomada de posição deste na manhã de ontem, transcrita neste blog e facebook) com representantes das candidaturas que se apresentam em Ourém, editou a seguinte nota da direcção

NOTA DA DIREÇÃO | 
DEBATE EM OURÉM ADIADO PARA DIA 26 DE SETEMBRO
- Set 5, 2017

O debate Autárquicas 2017 que se iria realizar em Ourém esta quarta-feira, dia 6 de setembro, organizado pelo jornal mediotejo.net, foi adiado para o próximo dia 26 de setembro, realizando-se às 21:00, no auditório da Escola Profissional de Ourém (EPO).
A direção do jornal e os representantes das candidaturas entenderam que seria mais benéfico aguardar pela decisão do recurso apresentado pelo candidato do PS, que será conhecido até dia 15. Pedindo desculpa pela alteração de data, o novo dia para a realização deste debate foi hoje remarcado para 26 de setembro, por decisão consensual de todas as candidaturas envolvidas, a quem a direção do jornal agradece a disponibilidade e a celeridade de resposta.

Depois do debate de Alcanena, realizado na segunda-feira, dia 4, o próximo debate realiza-se no Entroncamento, sexta-feira, dia 8 de setembro, às 21:00, no Centro Cultural da cidade.
------------------------------------------------------------------------------------------------

Congratulamo-nos com a decisão. Que o bom senso aconselhava...

terça-feira, 5 de setembro de 2017

"é preciso avisar toda a gente"!

Estava agendado para amanhã, 06.09.2017, o debate em Ourém, na EPO, entre os primeiros das listas para as câmaras dos concelhos do médio-tejo, no quadro dos debates promovidos pelo jornal digital médio-tejo.net.
Face ao imbróglio provocado pela situação pessoal do actual presidente da câmara e proposto como cabeça de lista do PS do foro judicial, e em que esse partido se quis envolver, a CDU-Ourém tomou a seguinte posição junto da organização dos debates:

1.Foi com satisfação que a CDU-Ourém acolheu a notícia da realização de debates promovidos pelo médio-tejo.net entre os candidatos às autárquicas com o muito louvável intuito de que se discutam ideias e propostas, e aceitou o convite de participação de acordo com as regras definidas em reunião realizada em Junho “tida com os responsáveis indicados pelas distritais dos partidos PS, PSD, BE, CDU e CDS-PP(…)”.
2.De acordo com essas regras, explicitava-se e publicava-se que os debates seriam entre “os cabeças-de-lista às diferentes câmaras municipais da região do Médio Tejo (que) não se podem fazer substituir nos debates por outros elementos da lista”.
3.A situação do cabeça de lista apresentado pelo PS em Ourém, e o processo em sede de tribunais (que vem de muito antes da apresentação das candidaturas), a que se juntou um extemporâneo (a nosso ver) acto de impugnação dessa candidatura pela coligação PSD-CDS, vieram criar um delicado problema político em que a CDU-Ourém se não quis imiscuir enquanto no foro judicial.
4.Ora o debate marcado para 6 de Setembro obrigaria a CDU-Ourém a pôr a questão prévia relativamente aos participantes.
5.Perante a situação, a posição cautelar de médio-tejo.net de pedir parecer à CNE, que foi comunicada na preparação do debate, teve duas consequências:
            5.1.A de confirmar inequivocamente a já referida regra.
            5.2.A do parecer vir contrariar a regra definida e acordada ao sugerir ou recomendar a substituição de um debate entre candidatos cabeças de lista por um debate entre representantes de candidaturas.
6.Outra consequência decorrente é a de obrigar, de forma enviezada, a CDU-Ourém a tomar posição não desejada e a participar em discussão que não pretende.
7.A aceitar participar num debate entre “cabeças de lista às câmaras” em que o cabeça de lista apresentado pelo PS em Ourém fosse Paulo Fonseca considera a CDU-Ourém que participaria no desrespeito do despacho judicial de 24 de Agosto último concedendo antecipado (e espúrio) provimento político ao recurso ainda não julgado.
8.O que não se quer fazer!
9.Nestes apertadíssimos prazos, em que se inclui o apertado prazo para o Tribunal Constitucional se pronunciar, desejável teria sido (se possível tivesse sido) adiar o debate para depois de tal pronunciamento, o que, por outro lado, levaria à necessidade de evitar o regresso ou reforço da ainda mais indesejável (pela CDU-Ourém!) centralidade desta questão que parece aproveitada para excluir do debate o que importa discutir: os reais problemas do Poder Local e das populações.
10.Pelo que:
            10.1.De acordo com as regras acordadas e definidas, o cabeça de lista à câmara de Ourém, estará presente antes do início do debate cujas intenções de novo muito se louvam.
            10.2.Não participará nele se quem se apresentar para participar pelo PS não for quem o despacho de 24 de Agosto determinou como cabeça de lista.

            10.3.Se assim vier a ser, reclama-se o direito de, previamente ao início do debate, o cabeça de lista pela CDU poder ler as razões aqui expostas, indo depois ocupar lugar entre os assistentes.

Esta posição foi comunicada a médio-tejo.net ontem de manhã. 
No final do dia, sem ter havido qualquer sinal de recepção, ao acompanhar-se a transmissão em directo do primeiro dos debates realizado em Alcanena, foram os auditores surpreendidos pela seguinte nota no fecho do debate:

«O próximo debate realiza-se na sexta-feira, 8 de setembro no Entroncamento dado que o debate previsto para Ourém vai ser reagendado por imperativos de última hora.»

Sem prejuízo de ulteriores (e fundados) comentários e tomadas de posição, dir-se-ia que se trata de medida sensata, reiterando-se as reservas inerentes à não informação/confirmação - até ao momento - de tal decisão e de quais os "imperativos de última hora".

A CDU-Ourém vê-se obrigada a divulgar atempadamente esta informação ("é preciso avisar toda a gente"!), sobretudo em intenção de quem estivesse mobilizado para acompanhar o debate anunciado.
   

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

COMUNICADO Nº 8






CDU – autárquicas de 2017
COMUNICADO nº 8
INTERVALO?
(para quê?, para quem?)

Enquanto outras campanhas se enovelam em actos e entre-actos, parecem paralisadas na expectativa do que possa vir de fora ou de interpretações e decisões de bastidores, se mostram por festas e feiras, preparam acções de espavento, a CDU-Ourém vai cumprindo o seu roteiro eleitoral com os meios que dispõe, e cumpre os seus objectivos.

No domingo, 27 de Agosto, foi a apresentação da lista de candidatos à Assembleia de Freguesia de Fátima, no mercado local.
O primeiro candidato da lista à Câmara de Ourém fez a intervenção de abertura, começando por breves palavras sobre o significado da apresentação de uma lista em Fátima, pelo que representa a presença da CDU neste lugar de enorme relevância social, e pela necessidade do estudo que ele merece para melhor e mais responsavelmente se agir. Depois, apresentou os candidatos presentes da lista cujo primeiro nome é o de Helena Cardinali, com assinalável e reconhecida intervenção sindical, também o terceiro nome da lista para o executivo camarário.
Nessa lista, com idades entre os 23 anos e os 81 anos, com a média de 42 anos entre os 13 efectivos, estão 6 mulheres e 7 homens, e 6 são independentes de organizações partidárias.

A seguir, a primeira da lista para a Assembleia Municipal, Brígida Batista, fez uma intervenção em que, citando Sérgio Ribeiro, que é o segundo dessa lista, sublinhou a importância da democracia participativa, e adiante disse:
«(…)Fátima, com a sua especificidade e crescente importância no País e no mundo, tem uma dinâmica muito particular e única, potenciadora de desenvolvimento local, social e económico, torna mais evidente ainda a carência de um plano estratégico global, cuja falta está na origem de um Município dividido em dois, com necessidades que se duplicam e oportunidades desaproveitadas, que podiam beneficiar o conjunto e as populações.
«Fátima é uma realidade e um local diferente de outros. Mas é – também - um local onde vive e trabalha muita gente. Que merece toda a nossa atenção e que queremos bem representar e ajudar a fazer participar nos seus próprios destinos. Propomo-nos por isso como uma escolha DIFERENTE, como vêem o voto na CDU, nunca é um voto perdido, nunca é um voto em vão!
«O voto na CDU é um voto que reforça o lado participativo da democracia, é um voto no TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA. O que não se afirma como um slogan ou demagogia, mas como maneira de estar na vida e na política.»
Depois, falou Helena Cardinali:
«…Fátima é um mundo. É também um mundo de trabalho, uma terra de muitos trabalhadores. Que têm os problemas de todos os trabalhadores e a que só unidos, solidários, podem procurar dar resposta.
«Sou trabalhadora. Sou sindicalista. E sei que há situações que são de todos os trabalhadores, sejam eles católicos ou não, só por serem trabalhadores. Porque há patrões que, sendo católicos ou não, sendo instituições religiosas ou não, são patrões e que, por isso, por vezes se “esquecem” das leis do trabalho.
«Somos trabalhadores. Somos sindicalistas. Apenas queremos defender os nossos direitos, que sempre tanto custaram a ganhar.
«Nestas eleições autárquicas, os trabalhadores têm de saber quem os defende, e têm de estar com esses. Como um simples gesto de defesa, ao lado dos outros trabalhadores, sem intenção de atacar ninguém.
«Eu estou com a CDU. De cara levantada e sem receios, sem medos. «Estou com a CDU. Porque estou com os que defendem o mesmo que eu. Que sou trabalhadora. Que sou sindicalista.
«Se no dia 1 de Outubro derem força à CDU... se no dia 1 de Outubro me derem força, no dia 2 de Outubro usarei essa força na Assembleia de Freguesia de Fátima para fazer – também ali! – o que procuro fazer em todos os sítios onde estiver: trabalhar com honestidade e competência, defender os meus direitos, os direitos dos trabalhadores e das populações em geral!»
Para terminar abriu-se um espaço de debate em que Brígida e Sérgio esclareceram aspectos relacionados com as eleições de 1 de Outubro.

_________________________________________________________

sábado, 26 de agosto de 2017

Lista de candidatos para a Assembleia de Freguesia de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais


João Filipe Mendes de Oliveira
50 anos, Professor ensino secundário - Independente.

Maria Cidália da Silva Pereira
65 anos, Professora ensino secundário - Independente.

André Luís da Graça Antunes
39 anos, Jardineiro - Independente.

Marília Costa Pedro
46 anos, Reformada - Independente

Maria José das Neves Gomes
76 anos, Reformada - PCP.

Fernando de Almeida Gomes
80 anos, Reformado - PCP.

Maria Celeste Serra Ferreira
53 anos, Educadora de Infância - Independente.

Henrique Carlos Faria de Sousa
68 anos, Professor (reformado) - Independente.

Jacinto António Castro
80 anos, reformado - PCP.

Candidatos suplentes
Maria Joaquina Pereira dos Santos, PCP.
Maria da Conceição Marques Vinagre Palmela Pinheiro, PCP.
José Inácio Ferreira Carvalho, PCP.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Comunicado nº7


COMUNICADO nº 7

A toda a hora o mundo muda… e nem sempre melhora! Mas tudo tem de ser feito para que acabe por melhorar. Para todos.
Faz falta quem ajude e muito sobra quem não ajude…ou pior.

Em Portugal há carência e urgência de ordenamento político e administrativo do território e da floresta. As consequências vêem-se. E vivem-se. E há os que as sofrem porque elas servem interesses de uns. No (des)ordenamento coexistem concentrações e desertificações populacionais (e eleitorais).
Segundo os recenseamentos, em 25 anos as (mal) chamadas “regiões” cresceram 30% a Norte e 20% no Algarve, cerca de 10% na Área Metropolitana de Lisboa (um pouco acima) e no Centro (um pouco abaixo) e o Alentejo diminuiu 7%!

Na campanha da CDU quer-se conhecer mais – e dar a melhor conhecer – o País que somos e o sítio em que estamos. E como muda.
Também em Ourém há – sempre! – mudanças. Das reais e das que se procuram e se propõem para que pouco mude.                         
A coligação do PCP e do PEV, a que tantos independentes se juntam – no caso de Ourém chegam a 35% dos candidatos CDU a estas autárquicas! –, tem sido renovada em sucessivas e diversas eleições, como FEPU, APU e agora CDU. Por isso se tem acompanhado em Ourém, como em todos os concelhos de Portugal, as mudanças locais que confluem na mudança do País.
  
Concelho essencialmente rural em 1974, com 15 freguesias (número que sofreu alterações até chegar a 18 e às agora 13 impostas pelas “troikas”), a evolução demográfica e medidas administrativas levaram a que em Ourém tivessem sido criadas duas cidades, verificando-se alterações significativas no perfil demográfico-eleitoral e com base em critérios que consideram as freguesias de Fátima e de Nossa Senhora da Piedade como urbanas e as outras como rurais.
Os recenseamentos, que reflectem a realidade municipal, mostram a marcada tendência de crescente peso das duas cidades, sobretudo de Fátima entre 2009 e 2017, quando caiu nas freguesias “rurais” e afrouxou a subida na Piedade. Resultou desta evolução que o número de eleitores potenciais se multiplicou 2,4 vezes em Fátima e 2,2 vezes em Piedade nestes 40 anos, enquanto apenas subiu cerca de metade em todo o concelho por só ter aumentado 40% na parcela rural, com estagnação por exemplo na histórica freguesia de Seiça (a festejar condignamente os 500 anos!), e até evolução negativa nalgumas outras, difícil de avaliar dadas as alterações ocorridas nas respectivas composições. Por todos os motivos, inclusive pelo simples peso eleitoral (1 em cada 4 recenseados[1]), a freguesia de Fátima tornou-se relevante no concelho de Ourém, que continua a integrar. 



[1] - em 2015, só 1 em cada 5 recenseados estava no distrito de LIsboa. E diz-se que Portugal é macrocéfalo!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Intervenção de BRÍGIDA BATISTA no almoço de apresentação


Saudações a todos os amigos presentes neste almoço de apresentação de candidatos da CDU Ourém aos órgãos autárquicos, que no dia 1 de Outubro vão a eleições.
Desde 2001 que integro as listas da CDU em Ourém, como independente (na altura tinha 20 anos), lembro-me de preencher as certidões para as listas desse ano, que me chegaram pelas mãos da Margarida, lembro-me também da honra que senti ao fazer parte do projeto democrático e unitário, que trabalha ao serviço das populações e não de interesses menores.
A CDU é diferente! Essa diferença encontra-se na diversidade de todos os que participam deste projeto, encontra-se na vontade de cada um dar o melhor de si em defesa dos interesses da comunidade, todos os dias do ano, mesmo estando em minoria, como acontece em Ourém, que conta com a CDU desde 1976 e que há 18 anos tem lugar na assembleia Municipal.
Há 18 anos que a CDU elege um representante para a assembleia Municipal, a Margarida, o João Filipe e o nosso Amigo Sérgio Ribeiro, foram e são as vozes que “insistem e chamam a atenção para os problemas do Concelho de Ourém”, são a voz da diferença, apresentam propostas concretas, algumas delas aprovadas (apesar da inferioridade numérica), a ultima foi na sessão de Fevereiro deste ano, sobre descentralização administrativa, “como condição essencial para o desenvolvimento local e regional”.
Este ano, o Sérgio Ribeiro decidiu dar lugar a uma pessoa mais nova, para dar continuidade ao trabalho da CDU na assembleia municipal. Foi com surpresa que recebi através dele, o convite da CDU, para me candidatar ao lugar que atualmente ocupa, de imediato fui tomada por um turbilhão de emoções e duvidas, que apos uma conversa (que vai ficar para sempre na minha memoria) decidi aceitar ser candidata à assembleia municipal de Ourém, pela CDU.
Agradeço a confiança que os camaradas da CDU Ourém depositaram em mim e prometo assumir os valores do trabalho, honestidade e competência, que são muito mais do que um slogan, são o lema da minha vida pessoal, profissional e agora nesta nobre tarefa ao serviço da população Oureense. Não me candidato sozinha, candidato-me com uma equipa de peso (Sérgio, João Filipe, Isabel, Ivan, Tiago e muitos mais) formada por candidatos do PCP-PEV e independentes, uma equipa que há mais de 40 anos se dedica totalmente ao Concelho de Ourém, aos interesses dos seus trabalhadores e do seu povo.
Conto com o vosso apoio para dar continuidade a este projeto diferente!
Obrigado
Brígida Batista

COMUNICADO Nº 5


Da importância da nossa diferença e da nossa presença

São todos iguais – dizem alguns. E nós olhamo-los de olhar aberto e respondemos-lhes que não é assim.

- Se lá estivessem faziam o mesmo que eles! Todos querem é tacho!

Se lhes dizemos que connosco ninguém ganha um tostão em proveito próprio, recusam acreditar. Se lhes falamos da nossa ação a nível local, afirmam não ter ouvido falar. Se lhes lembramos a nossa história, as nossas ideias e os nossos ideais, respondem-nos que não querem nada com política.

Mas na hora de votar irá o medo da mudança levá-los a votar nos mesmos de sempre, nos iguais? No fundo, sabem que uma vitória da CDU os obrigará a experimentar a política em que nunca quiseram acreditar.

Vá lá! Se não nos têm como melhores, tenham-nos ao menos como piores mas não iguais e acordem para a pequeníssima diferença de nunca dizermos “eu”, dizermos “nós”.

Pode custar a aceitar, mas somos diferentes, sim! E é a importância da nossa diferença que moverá os que votarem em “nós”.

Pode custar a reconhecer a importância da nossa presença mas os que representamos sabem bem que não traímos as nossas ideias, nem os nossos ideais, que a nossa coerência é inabalável e que na hora de enfrentar a arrogância dos poderosos é connosco que vêm ter.

Temos tido apenas um eleito na assembleia municipal e muita gente admite que a sua intervenção valha por uns tantos dos outros, talvez até os pares das outras bancadas reconheçam, em privado, o seu valor.

Talvez, lá no fundo, todos reconheçam que a presença da CDU nos órgãos autárquicos do concelho de Ourém é importante e, talvez, também tenham vindo a aprender que se elegem representantes e não apenas o Pedro ou o João das rotundas.

Por isso é de esperar que, desta vez, a CDU Por Ourém não tenha só um eleito mas alguns mais, diferentes e presentes entre aqueles que, por serem iguais, podem com ligeireza mudar ano após ano de força política e de cartaz.   


Mais força à CDU e que não fiquem dúvidas: também Estamos preparados para ganhar!

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Lista de candidatos para a Assembleia Municipal de Ourém

Candidatos efectivos



Brígida Andreia Costa Batista
35 anos, Técnica Superior Engenheira Biotecnológica - Independente.

Sérgio José Ferreira Ribeiro
81 anos, Economista (reformado) - PCP.

João Filipe Mendes de Oliveira
50 anos, Professor ensino secundário - Independente.

Isabel Maria Barreto Espada da Silva Lourenço
70 anos, reformada - PCP.

Ivan Miguel Graça Frias
31 anos, Engenheiro Informático - Independente.

Luís Filipe Reis Costa
31 anos, Técnico Superior de Relações públicas - Independente.

Maria Gracelinda Pinheiro Marques
69 anos, Professora do ensino secundário - PCP.

Marco Aurélio Fonseca Jacinto
41 anos, Técnico de análises clínicas e saúde pública - PCP.

Francisco Pereira Coelho
72 anos, Sociólogo / Advogado - PCP.
                                                                                                                               
Maria José Dias Rodrigues
70 anos, Filóloga (reformada) - Independente.

António Sérgio Lains Baptista Galamba de Oliveira
36 anos, Antropólogo -PCP.

Joana Filipa Averina da Silva Forte
25 anos, Médica - Independente.

Tiago Henrique Lains Baptista Galamba de Oliveira
42 anos, Serralheiro de PVC - PCP.

Luís Fernando Lopes Silva Forte
57 anos, Médico - PCP.

Catarina Alexandra Penim de Oliveira
36 anos, Explicadora - Independente.

Álvaro dos Santos Reis
75 anos, reformado - PCP.

António Manuel Afonso do Nascimento
51 anos, Ferroviário - PCP.

Tânia Cristina Marques Pereira
31 anos, Comerciante - Independente.

Ricardo Alexandre Barreto Espada da Silva Lourenço
46 anos, Operador de Posto de Abastecimento - Independente.

Susana Maria Ferreira da Silva
42 anos, Empregada de balcão - Independente.

António Joaquim Pereira Galamba de Oliveira
73 anos, Reformado - PCP.


Candidatos suplentes
André Luís da Graça Antunes, Independente.
Marília Costa Pedro, Independente
Sara Serra das Neves, Independente.
Armando Pereira Coelho, PCP.
Filipe André dos Reis Vieira, PCP.
Luísa Maria Mendes Freire, PCP.
Luís Marques das Neves, PCP.
Arlindo Matias Ferraz, PCP.
Maria de Lurdes Ferreira Gonçalves, Independente.